terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Pingos nos us.

Acabaram com o trema.
Sucumbiram à preguiça de acentuar a linguiça.
Decretaram o fim do meu pinguim de geladeira.
De brincadeira.
Na mente de algum delinquente.
Que prepara uma armadilha pra acabar com o cedilha.
Mas não tema.
Por enquanto acabaram só com o trema.


Do meu amigo Zé (José Carlos Mauricio da Rocha Filho), com um empurrãozinho meu, em um manifesto contra a reforma ortográfica, que ainda não estamos conseguindo engolir. Publicado em nosso movimento vaziista, criado despretensiosamente numa brincadeira com a Elisa e apreendido pelo Zé com uma genialidade sem fim.

20 comentários:

Kika disse...

Lindo poema. Tá mesmo difícil de engolir essa reforma; que digam os pais que frequentam as livrarias em janeiro, o que acharam dessa patifaria!
Beijos Cris!

Tati disse...

Gostei =) Tbm não sei o porquê dessa reforma =/

Ana Paula Prado disse...

Boa ideia, sem acento.

Regina disse...

O Zé (se me permite a intimidade) é ótimo. Muito engraçado.
Quanto a esta reforma ortográfica, me desculpem, continuarei escrevendo certo (que agora virou errado).
A minha idéia terá acento.
Eu páro com acento.
A minha característica não será caraterística.
O argüir vai continuar com o trema.
Isso sem contar o hífen.
Pô, eu nem sei usar crase direito e já me vem um monte de coisas para aprender de novo?
Não é justo.

Ana Laura disse...

Linda de batom vermelho!
Um jeito bem "low profile" de usar o batom vermelho...deu um belo colorido, só um arzinho.


Abraços,

Ana Laura

pratoparadois disse...

Genial!

Viviane Moreira disse...

ADOREI!!!!

Paula disse...

Cris...

Conheço a pouco tempo o blog, mas já admiro muitooooo...
E vc como sempre arrasando....

Abraços.

Come_Chocolates disse...

Olá!!
Deste lado estou convosco!!
Fora com a reforma.
A nossa LÍNGUA é comum, mas também é única e genial, do "jeitinho tropical" ou "maneira mais sisuda", que a escrevemos!
De maneira que a minha ideia (sem acento) e a vossa idéia com acento, não podem estar erradas, porque se escrevem assim:
Cada uma do seu "jeito".
As duas a quererem dizer o mesmo.
Beijos
A Portuga

Viéz Acessórios disse...

Oi Cris,
Somos frequentadoras assíduas de seus blogs, mas nunca postamos aqui... Amamos o seu jeito de se vestir e principalmente de ser.
Adoramos o poema e também concordamos que não vai ser nada fácil a adaptação.
Parabéns pelo prêmio, você merece! Que esse seja apenas o começo de um ciclo maravilhoso em sua vida!

Beijos
Renata e Lucimara

Come_Chocolates disse...

Ó CRIS!
Tive de voltar:
Então deixaram de publicar Lá no VOSSO MOVIMENTO?
Ó ZÉ!
Que eu não conheço de nenhum lado, desculpe a intimidade, faça lá o favorzinho de escrever!!
Conhece o Mário Henrique Leiria?
Era um escritor "maldito", Resistente anti-fascista.
Escrevia assim.
Deliciosamente!
Se quiser:
DE
LI
CI -
OSAMENTE!!!

Quero mais!!!
A Portuga

Mady disse...

e agora de que servirão aqueles dois pontos em cima da tecla 6 no meu teclado?

.:*Mandy*:. disse...

Acho que nunca ficarei tranqüila com essa idéia (SIM, continuo a usar acentos, não aceito essa reforma, não aceito! Acho revoltante uma engenheira ter de parar tudo para voltar a estudar a Gramática! E olha que sempre gostei de Português...)

ana paula disse...

Tb não consegui ainda engolir essa reforma!!

Alexandra disse...

Diz que aqui, pelas terras lusas, também não engolimos o acordo ortográfico. Nós gostamos de acentos onde vocês não gostam. E de "c" nos factos para distinguir os fatos (ternos) de vestir. As diferenças aproximam-nos, não é verdade?

Tita disse...

Tô dentro.
Adorei o texto.

Ana B. disse...

Trema

Pôs-me, a reforma, um grande dilema.
Eis que minha alma agora se inquieta.
Pergunto-me, por Deus, se sem o trema,
estará, a minha tranqüilidade, completa?

Carrega, o tranqüilo, a sua sóbria marca,
medalha de quem vence os problemas,
mesmo que, por vezes, ainda trema
diante dos mistérios que a vida abarca.

Que toda tranqüilidade seja pontuada
como a dura conquista de uma vida plena.
E que todo tranquilo que não trema
saiba quão incompleta está sua jornada.

(do Marcio Juliboni)

Bjos

Carolina disse...

Só pra ressaltar... não é reforma, e sim ACORDO ortográfico visando unificar algumas pequenas coisas nos países que falam português. Além do mais, não afeta nem 0,2% de nossa língua pátria.

Ana disse...

Olá Cris,
Aqui, do outro lado do Atlântico, em Portugal, também há muita gente que não apoia essa reforma. Eu incluída, claro. Entendo a necessidade de uniformização, mas desvirtuar algo tão belo como a Língua Portuguesa deveria ser pecado! E enquanto você se habitua a escrever sem trema (como nós), nós teremos de nos habituar a escrever sem "c" (como vocês) palavras como acção, facto, pacto, actor...entre muitas outras.
Não sei como as crianças vão distinguir facto (de acontecimento), de fato (de vestir) e muito menos pacto (contrato) de pato quá quá. Aprendendo e mudando.
Beijo e parabéns pelo seu blog.

juji disse...

Muito bem, NÃO a reforma ortográfica! bjs boa semana!