quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Na Ragga deste mês.

39 comentários:

Coisas da Cá disse...

Ai Cris...
Amei o texto.
Sempre pensei como você, tanto que casei ESCONDIDA da família, acredita?
Começou assim, somos do interior, hoje moramos na capital. Nos conhecemos e depois de um ano juntamos as escovas de dentes. Moramos juntos por 3 anos, engravidei e assinamos os papéis, assim, pra gente, só pra gente. Levamos um casal de amigos, pois precisávamos de testemunhas.
Não tenho e nem tive a menor vontade de montar aquele circo.
Quando tive vontade foi na festa de um ano da minha filha, que montei um circo mesmo para comemorar!
A nossa união é construída dia após dia. É assim que celebramos a nossa união, nos respeitando e cuidando um do outro...

Você nem faz idéia do quanto é presente me minha vida, Cris.
Obrigada, mas muito obrigada mesmo!
Um beijo enorme da sua fã aqui!

soraya disse...

Será que foi redigido na terça, alí pelas 8(20)horas? Se não foi, não faz diferença, pq fez a diferença agora. É assim Cris, é assim que a gente conversa, é assim que vc me diz o que preciso ouvir, de longe, ao "pé do ouvido", beijos e obrigada mais uma vez!

Raquel disse...

Cris, vc conseguiu colocar em palavras o que eu sempre pensei. TEnho 33 anos e me caso com o amor da minha vida em dezembro deste ano. Nem fazia questão de festejar em grande estilo, mas cedi aos sonhos da minha mãe. Queria eu ter lido isso aos meus 20 anos de idade, me pouparia 13 anos de pressão para me casar e bla bla bla.. mas aguentei firme as cobranças de todos e acreditei no meu instinto, de que o que havia sentido ate aqui não era amor. Agora sim, conheço o sentimento e estou certa e madura do que estou fazendo. Vc me emocionou hj novamente. Obrigada por nos presentear com suas palavras honestas e delicadas.

Maria Thereza disse...

Oi Cris, terminei hoje um relacionamento porque queria uma garantia que ele não podia me dar. O seu texto me caiu como uma luva. Obrigada pelo perfect timing!

do interior disse...

Ai Cris, que coisa meiga!
Texto lindo para o fim do dia.
Beijocas e até amanhã!
Ilana

Rêveur disse...

É isso mesmo Cris!!
Adorei o texto, e devo dizer que concordo em gênero numero e grau com tudo o que vc disse.
Acho lindo uma festa cheia de pompa, e com muito amor, mas um acasamento cheio de pompa que é inversamente proporcional ao amor que une o casal, aí não dá. Acho que a solução mesmo, é amar sem a obrigação de ser nada na lei. É amar por causa do amor, constituir uma familia por causa do amor, e daí em diante, podem ser eternos namorados.

Bruno disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Paula Prado disse...

Você é um poço de talento!

vidainsolita disse...

Cris, parabéns pelo texto. Concordo com exatamente tudo o que colocaste. Maravilhoso.
O amor deve estar acima de tudo. E nas sábias palavras: que seja eterno enquanto dure.
Bjs,

Ane Bolos Decorados disse...

Amei o texto!!

Japa disse...

Você é um lu-xo! Felizes daqueles que têm o previlégio de conviver com a sua pessoa de pertinho...

Obrigada mais uma vez por palavras tão verdadeiras e sempre delicadas!

Beijo grande,
Japa

Karina disse...

lá Cris, sei que vc gostou do filme " apenas uma vez" hoje irá reprisar no cinemaxe 01:00 da manhã. tarde, mas um filme tão lindo merece ser assistido.

espero que veja esse recado antes do filme começar.

bjos

karina

Karina disse...

hoje dia 17 tá, quinta feira. só pra não confundir.

Deveria estar estudando disse...

Cris War, você falou TUDO.
Quantas vezes já vi cerimônias e festas milionárias...e o casamento acabou antes do álbum (milionário) ficar pronto. No meu casamento fiz tudo sozinha, decoração, lembrancinhas, convites, vestido. Foi uma cerimônia minúscula, só no civil. Mas quantas mulheres podem dizer que desenharam e bordaram seu vestido, que no dia estavam lá para cuidar de toda a decoração e só correram para o salão 2 hrs antes de casar? Ah, e foi ao som de nothing else matters do Metallica. Tenho a leve impressão de quem precisa mostrar luxo demais no casamento é porque não tem tanta certeza do que quer, aquele pensamento: "ah, nem queria tanto, mas vai ter festão e vou ser estrela por um dia". Mas depois da lua-de-mel acabar e de abrir os presentes, a verdade aparece.

Dany Ribeiro disse...

Coisa mais bonita de se ler!!!!

Adorei...

Erika disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Erika disse...

Simples, direto e perfeito.
Obrigada pelo texto maravilhoso Cris.
Lendo ele fiz automaticamente um balanço da minha relação; e pude ter certeza que o que sinto pelo meu namorido realmente é aquele sentimento que faz a gente encher o peito daquela coisa boa que nem sabemos explicar (amor).
Bjókas

Michelly disse...

Cris querida, amei o texto e ele me explica bastante! =)
Casei sem firula, sem igreja, sem vestido novo ou bouquet, ou mesmo tantos convidados. E foi surpreendente como aquele foi um momento tão especial, tão de nós dois e só! E mais surpreendente ainda é como Deus nos abençoou alí e tem nos abençoado. Casamento não é fácil, mas tenho vivido dias especiais ao lado de quem escolhi. Aliás, sempre acreditei que tudo na vida é escolha, e amar tb é uma. Todo o dia ao acordar vc escolhe amar aquela pessoa, pq isso te faz bem, pq vc faz bem a ela, e, então, escolhe também fazer o dia especial.
Um beijo!

hoje vou casar assim disse...

Vejo o casamento como a celebração do amor entre o casal, o assumir de um compromisso para a vida toda, e a partilha de tudo isso com as pessoas que são próximas.

Claro que o Amor e a maturidade da relação devem ser o ponto de partida para a decisão de casar. Nesse sentido, o texto é fantástico, porque faz reflectir sobre essa questão tão essencial.

Tendo isso garantido, eu quis festejar com a minha família e com os meus amigos, e de certa forma criar uma oportunidade de cada um de nós ser recebido na família que antes era apenas do outro, e assim unir toda a gente.

Tivemos roupa nova (e eu que adoro vestidos!) e uma série de pormenores "típicos", mas acima de tudo tentámos que as nossas escolhas reflectissem a nossa história: o significado do local, a música, as lembranças, a foto de grupo, os marcadores das mesas, a missa personalizada, ...

Juntamente com tudo o resto que o dia significa, mostrámos um pouco de nós, e sentimo-nos em casa.

DançaDoVentre_RunnerSantana disse...

Cris, lindo texto você sempre com as palavras na medida certa. É um prazer e um privilégio pode compartilhar de seus pensamentos.

josi stanger disse...

Oi Cris, gostei muito do texto também porque reflete uma idéia que toma forma nas cabeças mais arejadas de hoje. A festa de Casamento, muitas vezes pode acabar com ele pelos gastos ou pelos gostos, difícil agradar a todos, não é mesmo?
Eu nem tinha a pretenção de uma festa luxuosa, pois sou de família humilde e meu marido também e achava muito estranho se as coisas parecessem fora da nossa realidade, com cara de encenação, sei lá. Por isso, no meu casamento todo foi feito com calma, mesmo porque minha mãe estava meio doentinha na época, tinha passado por uma cirurgia e eu não queria sobrecarregá-la. Então desenhei meu vestido, e pedimos para uma visinha fazer. Detalhe ela estava fazendo um curso de corte e costura e levava o vestido pra aula, sempre muito cuidadosa e querida essa vizinha também fez o bolo e fez malabarismo pra ir ao meu casamento pois uma sobrinha dela casou no mesmo dia... Eu fui pra igreja a pé, cercada pelas crianças da vizinhança. Quando a porta da igreja se abriu levei um susto, estava lotada como nunca tinha visto antes. E no jantar, faltaram pratos, os convidados, e eu inclusive, tivemos que dividir o prato com o companheiro, talvez um pequeno exemplo do que é a vida a dois. E assim continuamos, depois de 13 anos, completados dia 14 desse mês. O mais importante, não é o juramento, ou a festa, ou pompa. Minha mãe sepre dizia durante os preparativos... " tudo pode dar errado no dia, o importande é que dê certo depois, na vida..."
Um beijão Cris.
Veja os meus posts do dia 14 e do dia 9 desse mês, sobre esse assunto.

Dani disse...

E o que parecia uma amargura recalcada termina sendo uma observação certeira da realidade, privilégio de olhos sensíveis e almas sensatas como vc Cris. Obrigada pelo texto.

Fabíola Paiva disse...

oi Cris!
tudo bem?
então, tá rolando um concurso cultural no meu blog!
se você puder me ajudar a divulgar, vai ser ótimo!
quem ganhar, leva um vestido da alphorria cult super fofo!
thanks!
beijos

Ana Karina disse...

Meu Deus! Tudo o que eu penso sobre o casamento e que faz as pessoas, principalmente minha família, se assustarem quando digo! Casamento é uma celebração do amor entre duas pessoas, não um espetáculo para um público preocupado com o que vai vestir e com o que os outros irão vestir, falar, pensar. Excelente seu texto.
Um grande abraço.

Ana disse...

É bem verdade. Eu tenho 30 anos e mta gente me olha como coitada já tem 30 anos e nem namorado tem. Já faz mto tempo q eu passei a viver pra mim e me importar com a minha vida e comigo primeiro. Quando vc só dá importância pra o q os outros pensam e precisa da aprovação de todo mundo não vive.
E quando eu conheci o blog (há cerca de um ano) eu passei a me vestir pra mim também. Antes eu era adepta do calça jeans e camiseta branca. Agora não sou mais tão assim.
Resumindo: o importante é a gente colocar a gente em primeiro lugar na nossa vida.

Cláudia Paulino disse...

Casar é muito bom, celebrar é ainda melhor !!!
Este mês tive a felicidade de participar da festa de casamento dos meus amigos queridos "Rafael e Rafaela", um casal lindo e bacana !!!
O casamento foi lindo e as coisas que o noivo disse pra noiva emocionaram todo mundo...
é bacana ver um casal jovem, feliz e apaixonado e estar ali com eles pra compartilhar dessa alegria !!!
Eu sou a favor do AMOR e tbm adoooro CELEBRAÇÕES !!! Juntos então, são perfeitos !!!
Mas tem gente que exagera mesmo.... gasta rios de dinheiro só pra fazer bonito pros outros.
Beijos

DricaPeixoto disse...

Vááários aplausos pelo texto. Cris, quanto talento!

Rafael Freitas disse...

Num é que é exatamente assim que eu penso?

"... cuide da relação com o mesmo entusiasmo com que cuidou da festa." Isso foi demais!

beijo, Cris!

Caroline disse...

Que texto lindo!! =)

Vc arrasa!!!

Marcela disse...

e mais uma vez tu consegues expressar em palavras o que eu penso...és o máximo!

texto sensacional!

beijão

Elaine disse...

Cara adorei seu texto.
Em dezembro de 1984 (vixi maria, qto tempo) eu entrava na igreja linda e feliz, rs. Estavam lá todos os meus parentes e amigos queridos. Eu quis partilhar com eles toda a minha alegria eu quis um vestido de noiva, um buquê (na época o charme era orquídeas, rs), daminhas de honra, foi lindo.
A Festa? Ah, foi bem simples sem pompa mas animadíssima, porque a grana era curta mas, povo festeiro é o povo do interior e pirncipalmente o de Minas.
Foram 07 anos super felizes na minha vida, mas com 10 anos nos separamos...eu não sentia mais as borboletas no estômago, sabe como é?
Do relacionamento ficou a coisa mais importante: Camila nossa filha e uma, acredite, amizade.

Há doze anos, conheci alguém especial e repeti a dose, casei. Claro sem igreja, vestido de noiva, etc tal. Mas marcamos a data convidamos os amigos,unimos as famílias e trocamos alianças. Sem papeis, sem juiz e nem formalidades. Lembro que fomos juntos ao salão eu queria fazer um cabelo fashion (RSRS) e ele foi me acompnhando, saímos de lá atrasados e quando chegamos todos os convidados já estavam presentes. Como a "festa" iria rolar no salão de festas do nosso prédio (a gente já morava junto e eu estava grávida do Matheus) entramos no salão de festa pedimos desculpas pelo atraso, subimos para o apto tomamos banho nos trocamos e...foi lindo. Está sendo. A cada dia regamos a plantinha, tem que ser assim, senão não rola.

Li uma frase um dia não lembro o autor; "...quero passear de mãos dadas, dar e receber carinho sem necessariamente ter que depois mostrar performances dignas
de um atleta olímpico, fazer um jantar pra quem eu gosto gosto e depois saber que vamos "apenas" dormir abraçados, sabe essas coisas simples que perdemos nessa marcha de uma evolução cega."

Casamento? Vai ter festa? Ótimo não vai ter festa? ótimo, o importante é ter uma coisa que não sabemos definir apesar de sentir...amor
Bjus Cris

Botocuda disse...

Bom, casamento é a celebração do amor.
Uns preferem uma grande festa.
Outros não.
Nem por isso a festa vira só festa sem o significado do amor.
Não casei ainda, mas pretendo, nem sei se vamos ter festa, mas se tivermos é para celebrar o amor e não para aparecer.
É para convidar a família e os amigos para festejar conosco nosso amor.
É para que as outras pessoas amadas de nossas vidas se sintam parte também deste momento e deste passo.
Quem faz festa por festa está errado.
Mas querer celebrar é essencial.
Talvez você ainda queira se casar.
Talvez volte a acreditar que as pessoas podem se amar sem o vestido e as luzes.
Mas não é porque alguém quer isso ou fez isso que o amor é menor ou maior.
Talvez nem seja meu estilo.
Mas é meu estilo querer que meus amados participem comigo, que meu filho se sinta parte de tudo, com ou sem festa. Com ou sem vestido. Que a família do meu amor também participe. É maravilhoso pensar na união (por opção) das almas ali e dos nossos entes e amigos queridos juntos conosco.
Eu acredito no amor.
Eu acredito na celebração do amor (que não precisa ser uma festa).
E procuro não desconfiar do amor dos outros. Gosto de acreditar que todos que se casam se casam por opção, porque é mais feliz com o outro e vice-versa.
E acredito em não desistir nas primeiras dificuldades.
Todos temos escolhas. Eu escolho estar junto.

Botocuda disse...

"...eu acho que será prá sempre, mas sempre não é todo dia." (Oswaldo Montenegro)

Regiane disse...

Amei o texto!
Sempre achei isso, as pessoas não casam para si, casam para os outros.

queroabracaromundo disse...

Incrível, mas quantos casamentos realmente felizes conhecemos? Antigamente as pessoas casavam para sair de casa, hoje casam por carência.

Parabéns pelo texto. Verdadeiro!

a_girl_feeling disse...

To contigo e não abro!! bjsss

Julia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Julia disse...

ola cris, bemf az um tempinho que não respondo mais por aqui no seu blog, acho que preferi ficar apenas lendo e observando...mas como vc mesma disse, esse texto vai dar o que falar, resolvi tb colocr aqui minhas impressões. Concordo plenamente com vc qundo diz que casamento é muito mais que uma cerimônia;afinal, estarei noiva daqui a alguns meses e nem sei se terei condições de fazer uma festança....mas, não concordo com vc quando diz que casamento é uma obrigação, acredito que esta não seja a palavra correta. Obrigação é quando acordamos todos os dias para irmos trabalhar, pq sabemos que se não fizermos isso morreremos de fome!, para mim substituiria esta palavra por compromisso, pois, o casamento é cumplicidade, vc não casa apenas com o $lado bom da pessoa, mas também, como os defeitos, com o mau hálito pela manhã ou a barba mal feita, vc não casa apenas com o eu te amo!, mas também com o mal humor...obrigação seria eu ter que aceitar tudo sempre, aceitar uma pancada na cara depois de uma briga com meu marido, apenas pelo simples fato de eu estar casada. Cumplicidade não, é eu poder dizer também nao de vez enquando , ou freiar com as palavras, é eu dar as mãos quando for preciso, abrir um sorriso quando o mal humor me aparece de manhã, tentando compreender as diferenças, na verdade é isso, cumplicidade é compreender as diferenças, é amar sem pedir nada em troca...o que é muito difícil em muitos casais...mais acredito sim que o amor vale mais que tudo, mais que um bolo de 4 andares, um convite de 15 mil reais, ou uma noite de 60 mil reais no copacabana palace(sim, preços pagos por stefany brito e alexandre pato em seu casamaneto!)...bem, espero poder casar assim com a sua descrição , com amor e cumplicidade

bjinhosss

Júlia Marinho
Belém-PA

mary helen disse...

adorei o texto. é justamente assim que penso. me caso em novembro sem festa alguma(por opção nossa). fazemos 14 anos de namoro e já fazem 9 anos que moramos juntos. somos muito felizes e isso que importa. abraços cris.