sábado, 19 de junho de 2010

Na Ragga deste mês.

13 comentários:

Adorável Psicótica disse...

Oi, Cris!

Meu nome é Natalia Klein, fui uma das blogueiras entrevistadas na revista UMA desse mês.

Acompanho seu blog há mais de um ano e fiquei super feliz de aparecer na mesma matéria que você.

Quando puder, dá uma passadinha em http://adoravelpsicose.blogspot.com, vou adorar receber sua visita.

Beijão,
Natalia.

brechó superbonita disse...

ADOREI CRIS!

BEIJOS

Bel disse...

E é por isso e por tanto mais que estou por aqui há tanto tempo. Há tanto tempo em mim.
Porque me ouço ao te ler ...porque me leio ao te ver.
Que texto mais lindo e cheio de verdades poéticas ... porque a vida assim é.
No embaraço que há no encontro inesperado (dentro do elevador ... dentro de nós) há a possibilidade concreta do contato: aquele íntimo que exige um respiro diferente ... um quase suspiro.
Lindo o texto ... adoro quando passeias dentro de ti.

Um grande beijo,

Bel.

Kátia disse...

Cris, querida!
Além do tempo natural, que exige tanto da gente, há o tempo subjetivo: que existe dentro de nós.
Você em um texto poético, nos mostra esse olhar atento, íntimo, belo e necessário que observa detalhes significativos em nossas vidas.
Um texto "abensonhado". Parabéns!
Meu carinho
Kátia
klim@terra.com.br

Thais Moura Shoes disse...

Adorei Cris!!
Muito sucesso pra vc!!
beijoss

http://thaismourashoes.blogspot.com

adriana disse...

Oi Cris
Ontem conheci seu blog e constatei na sua história algo em comum com a minha: perda, luto, superação.
Me animei e criei o meu blog, em mais uma tentativa de sobreviver.
quando puder da uma passadinha por lá! Sou iniciante no mundo da blogosfera.

adriana disse...

nào falei que sou iniciante?
não falei o nome do blog: superandoasperdas.blogspot.com

brupequena disse...

Olá, Cris, adorei o texto.
Morei boa parte da minha vida em prédios e acho que todo mundo sempre tem uma história de conversas em elevadores.

Acho que amanhã, ao invés de só sacudir a cabeça pros vizinhos, vou engatar em bate-papo pra ver no que dá! rs rs

beijos

Urso e Florzinha disse...

Também consigo me ver em suas linhas... Consigo ver flashs da minha vida passando enquanto te leio, enquanto passeio por teus versos...
Bjs.

Shiruvana disse...

e se, ao lado do aviso da operadora do elevador, estivesse o seu texto?! nós teríamos boa companhia no sobe-e-desce também!

pgquintao disse...

Muito bom, Cris. O texto ficou muito fofo! Deu até vontade de andar de elevador.

Daniela Guimarães disse...

Mulher, como cabe tanta coisa dentro de você? Tanta coisa boa?
Já sei, você vai fazendo assim, liberando espaço para coisa nova ao tempo que nos oferece suas coisas boas...
Bj.

Pequena disse...

Oi Natalia, prazer te conhecer! Um beijo.